Governo Bolsonaro dá as costas para fundo bilionário

Grandes companhias querem pagar para frear o desmatamento na Amazônia, mas governo federal ignora iniciativa

Existe uma iniciativa inovadora em curso no mundo contra o desmatamento florestal. A chamada Coalizão LEAF  – uma iniciativa organizada pelos governos dos Estados Unidos, da Noruega e do Reino Unido – conta com o apoio financeiro de 20 empresas do setor privado – empenhadas em colocar US$ 1 bilhão em um fundo ambiental.

Para concorrer aos recursos, como mostra o Valor Econômico, é preciso apresentar um projeto que será apreciado pelos gestores. No ano passado, na primeira convocação, foram 35 propostas de vários países – no entanto, nenhuma delas era do governo federal brasileiro.

É bem verdade que oito estados brasileiros (Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Roraima e Tocantins) entregaram os seus planos, mostrando uma movimentação por parte dos governos subnacionais. Entretanto, isso significa muito pouco caso o governo federal não endosse tais planos.

“Para que os estados participem, precisam de aprovação do governo federal. Não assinaremos contrato [com os estados], a menos que haja aprovação do governo federal”, disse Eros Bloomgarden, um dos executivos ligados ao fundo, ao repórter Assis Moreira. Pelo menos até agora, não há qualquer sinal de engajamento de Brasília no tema.


Este conteúdo pode ser republicado livremente em versão online ou impressa. Por favor, mencione a origem do material. Alertamos, no entanto, que muitas das matérias por nós comentadas têm republicação restrita.

Aqui você encontra notícias e informações sobre estudos e pesquisas relacionados à questão do desmatamento. O conteúdo é produzido pela equipe do Instituto ClimaInfo especialmente para o PlenaMata.

Se você gostou dessa nota, clique aqui e assine a Newsletter PlenaMata para receber o boletim completo diário em seu e-mail.