Sob pressão, Bolsonaro volta a dar importância às multas ambientais

Presidente assina decreto que majora os valores das infrações contra o meio ambiente

Em Davos, o Brasil está sendo cobrado por medidas mais duradouras para a preservação da Amazônia, e Bolsonaro ensaia um pequeno recuo. Sempre um defensor do afrouxamento das multas ambientais, o presidente, desta vez, se viu obrigado a fazer um decreto para aumentar o valor de algumas delas. A medida foi publicada na terça-feira (24) e abrange multas aplicadas contra quem falsifica documentos para encobrir o corte ilegal de madeira, por exemplo.

Como reporta Jake Spring, para a Reuters, o decreto ainda estabelece consequências mais pesadas para os infratores ambientais reincidentes e deve abordar o acúmulo de multas pendentes de cobrança.


Este conteúdo pode ser republicado livremente em versão online ou impressa. Por favor, mencione a origem do material. Alertamos, no entanto, que muitas das matérias por nós comentadas têm republicação restrita.

Aqui você encontra notícias e informações sobre estudos e pesquisas relacionados à questão do desmatamento. O conteúdo é produzido pela equipe do Instituto ClimaInfo especialmente para o PlenaMata.

Se você gostou dessa nota, clique aqui e assine a Newsletter PlenaMata para receber o boletim completo diário em seu e-mail.