Os povos da Amazônia há 6 mil anos

Série documental produzida pelo Sesc TV acompanhou os trabalhos de escavação arqueológica da USP

Os Povos Ancestrais da floresta estão no foco de uma série documental produzida pela SescTV disponível de forma gratuita na internet. A obra, como relata o Jornal da USP, acompanhou os trabalhos de escavação de um grupo de pesquisadores da USP e de diferentes universidades do Brasil e do exterior, em parceria com os moradores da aldeia Palhau, da etnia Tupari.

Os vídeos exploram a relação de transformação do local a partir da vivência e sobrevivência dos indígenas Tupari no sítio arqueológico Monte Castelo, em Rondônia. É um registro importante para os dias de hoje, porque mostra um território vivo. Os artefatos arqueológicos investigados pelo grupo que aparecem nos episódios da série ajudam a compreender a longa ocupação humana na Amazônia.

“A arqueologia conta histórias que foram apagadas”, afirma Eduardo Góes Neves no vídeo de estreia da série. Conhecido como arqueólogo da Amazônia, o pesquisador integra o Laboratório de Arqueologia dos Trópicos do Museu de Arqueologia e Etnologia (MAE) da USP e coordena o Projeto Amazônia Central, que promoveu a escavação de vários sítios grandes pela primeira vez. A hipótese do grupo é de que a Amazônia não é uma floresta natural, mas um patrimônio biocultural criado pela intervenção indígena na paisagem.


Este conteúdo pode ser republicado livremente em versão online ou impressa. Por favor, mencione a origem do material. Alertamos, no entanto, que muitas das matérias por nós comentadas têm republicação restrita.

Aqui você encontra notícias e informações sobre estudos e pesquisas relacionados à questão do desmatamento. O conteúdo é produzido pela equipe do Instituto ClimaInfo especialmente para o PlenaMata.

Se você gostou dessa nota, clique aqui e assine a Newsletter PlenaMata para receber o boletim completo diário em seu e-mail.