Bioeconomia se fortalece no Amapá

Cooperativa AmazonBai inaugura fábrica agroindustrial para beneficiar o açaí

“É um momento histórico”, disse Amiraldo Picanço, presidente da AmazonBai, para classificar o que representa a inauguração da fábrica agroindustrial da cooperativa de produtores de açaí do arquipélago do Bailique e Beira Amazonas, no Amapá. Ele trabalha há oito anos organizando, de forma sustentável, a cadeia produtiva do açaí na região, como destacou o g1 ao repercutir a inauguração. A fábrica, destinada ao beneficiamento e à produção de derivados do açaí da floresta amazônica, foi instalada na zona oeste de Macapá, e terá capacidade para beneficiar 2 mil litros por dia, além de produzir e armazenar mais 60 mil litros de fruto.

Há anos esse passo era considerado fundamental para a AmazonBai conseguir gerar mais renda aos cooperados. A pandemia acabou atrasando o processo. Toda a coleta dos frutos da floresta para a produção da cooperativa é feita na região do Bailique e da Beira por mais de 140 extrativistas. A matéria-prima, então, é transportada de barco por várias horas, a depender das correntezas da foz do Amazonas, até a capital do Amapá.

Os produtos da cooperativa amapaense têm pelo menos cinco certificações, incluindo a do FSC Brasil – reconhecido internacionalmente. Agora, com a agroindústria, a expectativa dos cooperados é a de que o mercado internacional possa ser acessado com mais facilidade. “Hoje, o produto da AmazonBai já abastece o Brasil. Ele já sai com cinco certificações. Nosso objetivo para 2022 é que a gente possa acessar o mercado de exportação e colocar no produto no mundo todo”, afirma Picanço.


Este conteúdo pode ser republicado livremente em versão online ou impressa. Por favor, mencione a origem do material. Alertamos, no entanto, que muitas das matérias por nós comentadas têm republicação restrita.

Aqui você encontra notícias e informações sobre estudos e pesquisas relacionados à questão do desmatamento. O conteúdo é produzido pela equipe do Instituto ClimaInfo especialmente para o PlenaMata.

Se você gostou dessa nota, clique aqui e assine a Newsletter PlenaMata para receber o boletim completo diário em seu e-mail.