Garimpeiros se mobilizam contra operação da PF no Madeira

Centenas de balsas que se deslocam em conjunto no Amazonas em busca de ouro se preparam para desafiar ações policiais

Áudio obtido pela reportagem do Estadão mostra que garimpeiros se articulam para evitar eventuais operações da Polícia Federal na região do rio Madeira. Cerca de 600 balsas se deslocam há dias na região dos municípios de Autazes e Nova Olinda do Norte, no estado do Amazonas.

A corrida de centenas de balsas para a mesma região do Madeira é consequência da notícia de que uma quantidade significativa de ouro foi encontrada no local. Como não está licenciada, a extração de ouro direto do rio é um crime ambiental. A Polícia Federal prepara uma operação para coibir a atividade dos garimpeiros.

Na conversa gravada obtida pelo jornal, garimpeiros combinam fazer um “paredão” de balsas e pessoas para barrar qualquer investida policial. Eles também lembram da reação que tiveram em outubro de 2017 quando uma das balsas acabou destruída pelos órgãos ambientais e outras 37 foram apreendidas. Um grupo de pessoas, na ocasião, ateou fogo em prédios do IBAMA e do Instituto Chico Mendes em Humaitá, no sul do Amazonas.

O g1 divulgou imagens aéreas da movimentação das balsas. No exterior, Guardian e Reuters repercutiram a ação audaciosa dos criminosos.


Este conteúdo pode ser republicado livremente em versão online ou impressa. Por favor, mencione a origem do material. Alertamos, no entanto, que muitas das matérias por nós comentadas têm republicação restrita.

Aqui você encontra notícias e informações sobre estudos e pesquisas relacionados à questão do desmatamento. O conteúdo é produzido pela equipe do Instituto ClimaInfo especialmente para o PlenaMata.

Se você gostou dessa nota, clique aqui e assine a Newsletter PlenaMata para receber o boletim completo diário em seu e-mail.