Financiamento do BNDES chega a frigoríficos que compram de áreas desmatadas

Levantamento do Repórter Brasil revela que o BNDES financiou, em 2012, 2016 e 2017 frigoríficos que abateram animais criados em fazendas desmatadas ilegalmente

A análise de empréstimos no valor total de R$ 46 milhões feitos a 25 pequenos abatedouros localizados na Amazônia, onde 90% de toda a mata derrubada vira pasto para boi, revelou uma relação direta entre verbas disponibilizadas pelo BNDES e crimes ambientais. O levantamento exclusivo do Repórter Brasil foi publicado pelo UOL.

Financiamentos liberados pelo banco em 2012, 2016 e 2017 chegaram a frigoríficos que abatem animais criados em fazendas desmatadas ilegalmente, embargadas pelo IBAMA, sobrepostas a unidades de conservação ou terras indígenas. Os dados analisados também mostram que as propriedades usam mão de obra escrava em suas atividades.

Uma consulta ao Portal da Transparência do BNDES feita pela reportagem mostrou que parte dos financiamentos continua ativa. Apesar de, desde 2009, existir uma norma interna no banco que veta empréstimos a empresas fabricantes de carne que tenham entre seus fornecedores fazendas com irregularidades socioambientais.


Este conteúdo pode ser republicado livremente em versão online ou impressa. Por favor, mencione a origem do material. Alertamos, no entanto, que muitas das matérias por nós comentadas têm republicação restrita.

Aqui você encontra notícias e informações sobre estudos e pesquisas relacionados à questão do desmatamento. O conteúdo é produzido pela equipe do Instituto ClimaInfo especialmente para o PlenaMata.

Se você gostou dessa nota, clique aqui e assine a Newsletter PlenaMata para receber o boletim completo diário em seu e-mail.