Relatório pede concepção inovadora sobre Amazônia

Relatório enviado à ONU por cientistas apontam soluções para a Amazônia

Qualquer plano a favor das florestas tropicais, seja no Brasil ou em outros países, precisa partir de um tripé bem estruturado, segundo um relatório sobre a Amazônia entregue à ONU no mês passado. O documento, assinado por mais de 200 cientistas, recebeu uma avaliação do UOL.

As medidas de conservação e restauração dos sistemas terrestres e aquáticos são essenciais. Assim como planos de estruturação da bioeconomia e o fortalecimento da cidadania e da governança amazônica. Outro ponto-chave também essencial é promover de forma generalizada uma mudança de concepção em relação às florestas.

O fato de parte da sociedade civil defender a ideia de que a mata em pé não leva ao desenvolvimento socioeconômico e ao bem-estar das populações tradicionais e comunidades indígenas é algo que precisa ser combatido, segundo os pesquisadores. Para eles, as ações precisam ser combinadas com aumento do acesso à educação e à inovação tecnológica. Um olhar atento e constante para a região, por parte de todos envolvidos com nuances da governança amazônica, também é importante, seja para que áreas mais vulneráveis recebam mais atenção, seja para preservar e recuperar a biodiversidade florestal.


Este conteúdo pode ser republicado livremente em versão online ou impressa. Por favor, mencione a origem do material. Alertamos, no entanto, que muitas das matérias por nós comentadas têm republicação restrita.

Aqui você encontra notícias e informações sobre estudos e pesquisas relacionados à questão do desmatamento. O conteúdo é produzido pela equipe do Instituto ClimaInfo especialmente para o PlenaMata.

Se você gostou dessa nota, clique aqui e assine a Newsletter PlenaMata para receber o boletim completo diário em seu e-mail.