Do outro lado da fronteira

Desmatamento da Amazônia no Peru é o maior em 20 anos

Em outros países amazônicos, a pressão sobre a floresta tropical também é grande. O ano de 2020, por exemplo, foi devastador para a Amazônia peruana, segundo informa o El Desconcierto, a partir de reportagem da equipe do Mongabay América Latina. Ao todo, mesmo durante a pandemia, 203.272 hectares de vegetação foram destruídos, uma taxa 54.846 hectares maior do que a registrada em 2019. Os valores do ano passado, segundo números do monitoramento por imagens de satélite realizado pelo Ministério do Meio Ambiente e por entidades independentes, são os mais altos das últimas duas décadas. Entre 2001 e 2020, foram perdidos 636.585 hectares de floresta.

Dois processos principais estão associados ao aumento da destruição florestal, segundo avalia o governo peruano: o aumento da atividade do tráfico de drogas na região, principalmente ligado ao cultivo de coca, e a agricultura migratória. Por causa da queda da atividade econômica nas cidades durante a pandemia, milhares de pessoas regressaram para suas áreas de origem, na zona rural.


Este conteúdo pode ser republicado livremente em versão online ou impressa. Por favor, mencione a origem do material. Alertamos, no entanto, que muitas das matérias por nós comentadas têm republicação restrita.

Aqui você encontra notícias e informações sobre estudos e pesquisas relacionados à questão do desmatamento. O conteúdo é produzido pela equipe do Instituto ClimaInfo especialmente para o PlenaMata.

Se você gostou dessa nota, clique aqui e assine a Newsletter PlenaMata para receber o boletim completo diário em seu e-mail.