Desmatamento e queimadas: o Brasil real bate à porta de Bolsonaro na ONU

Ontem, enquanto Bolsonaro pintava um quadro róseo na Assembleia Geral da ONU, uma expedição de ambientalistas na Amazônia mostrou os fortes sinais da destruição da floresta.

Ontem, enquanto Bolsonaro pintava um quadro róseo na Assembleia Geral da ONU, uma expedição de ambientalistas na Amazônia mostrou os fortes sinais da destruição da floresta. Em sobrevoo nos municípios de Porto Velho (RO) e Lábrea (AM), a expedição captou o avanço do desmatamento e das queimadas em uma das áreas mais afetadas pela devastação nos últimos meses. Além da vegetação derrubada e queimada, as imagens mostram restos de garimpo, pistas clandestinas de pouso aéreo e cabeças de gado ocupando pastos recém criados.

“As imagens não mentem, já não podemos dizer o mesmo do discurso do presidente na ONU”, comentou Stela Herschmann, do Observatório do Clima, uma das organizações participantes da Aliança Amazônia em Chamas, responsável pela expedição. O grupo também é formado pelos Amazon Watch e Greenpeace Brasil. O Globo Rural também deu destaque às fotos da expedição na Amazônia.

Este conteúdo pode ser republicado livremente em versão online ou impressa. Por favor, mencione a origem do material. Alertamos, no entanto, que muitas das matérias por nós comentadas têm republicação restrita.

Aqui você encontra notícias e informações sobre estudos e pesquisas relacionados à questão do desmatamento.

O conteúdo é produzido pela equipe do Instituto ClimaInfo especialmente para o PlenaMata.

Se você gostou dessa nota, clique aqui e assine a Newsletter PlenaMata para receber o boletim completo diário em seu e-mail.